segunda-feira, maio 28, 2007

Famíliaminha (Despedida II)

Andamos pouco, mas sabemos que fomos longe.
Buscamos raízes, encontramos uns aos outros e nos deparamos com o improvável Azar.
Deu tudo tao errado que a gente quis chorar e num concerto desmembrado fizemos uma sinfonia de soluços, muitos deles escondidos. Secamos a bochecha no desespero de sorrir. Até que se ouviram boas gargalhadas. Eu me lembro.
Cada um com sua queda, seu crime, sua dor, sua doença, sua cabeça dura e seu coraçao descompassado, lá fomos nós.

Lá se vao eles, eu fico. Fica um aperto me esgüelando por dentro que só me escapa com certo atraso, sem querer, numa noite errada. Minhas pernas estao no ar, cadê o chao? De relance vejo que está debaixo da minha cabeça enquanto tudo está ao revés. Dou mais uma cambalhota e, para minha própria surpresa, recupero o norte, porque é no norte em que yo me quedo.

3 comentários:

cintilante disse...

dá pra viver um pouco o que tu sente.
me emocionei
;*


(existe data de visita ao brasil? ;)

alice disse...

snif.

Carol disse...

todavia, no.
nenhuma visita agendada.
ainda.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin