segunda-feira, julho 13, 2009

Lily Allen - 22 (HD)

O novo da Lily Allen faz uma reflexão bem legalzitcha sobre nós, meninas/mulheres de nearly 30 que às vezes nos olhamos no espelho e ainda lembramos de como era ter 22. E fazemos aquele balanço rápido de vida: onde estamos? Como chegamos até aqui?

A música fala de uma mulher não totalmente realizada, com uma carreira mais ou menos e em busca de um namorado (but she only gets one-night stands).

Por um lado me identifiquei, pois realmente tenho um allright job (ou tinha, porque agora são só freelas) mas não chega a ser uma carreira. E sim, quando tinha 22 esperava estar num lugar melhor à beira dos trinta.
Por outro, minhas one night stands acabaram e, ao contrário do que sugere a letra, não dependo de um príncipe encantado que me ponha em seus ombros.
(Aliás, nenhuma mulher deveria depender disso pra ser feliz, né?)

Anyway, também não concordo plenamente que a sociedade diz a nós quase-trintonas que não há nada o que fazer e que nossas vidas acabaram. Tá certo que ainda nos perguntam quando vai rolar o casamento, quando vamos comprar casa, essas pressões chatas.

Mas, ah, we are doing all that we can, aren't we?

---

The new Lily Allen's video talks about us, nearly-30 women who sometimes look at ourselves on the mirror and remember how it was when we were 22. And then we stop for a moment to ask ourselves: where am I? How did I get here?

The song depicts this women that doesn't feel entirely satisfied, that has a mediocre carreer and wants a boyfriend (but she only gets one-night stands).

I kind of saw myself on her shoes, since I have an alright job (well, just "ok" freelance jobs now), but it's not really a carreer. And honestly, when I was 22 I thought I'd be doing better by now.

On the other hand, my one-night stands are over, and, opposite to what the lyrics suggest, I don't depend on a prince charming picking me up and putting me over his shoulders.

(Actually no woman should depend on that to be happy, right?)

Anyway, I also disagree that society says that there's nothing to say and that our lives are over. Although... people still ask us when we are going to get married and when we are going to buy a house and those annoying stuff.

But, hey, we are doing all that we can, aren't we?

3 comentários:

alice disse...

eu me identifiquei com o cabelo esculhembado dela!

sim, também com esse momento do banheiro das meninas e a pressão da sociedade. dá vontade de rir quando se fala em carreira. ou será que devemos desmitificar que carreira é quando estamos já fazendo um sonhado ofício?
acho que já comecei a minha no último ano de faculdade, e os desvios e experimentações fazem parte dela...

Luanne. disse...

Tá lindo o blog!

Eu penso que tenho 23, quase 24, não são 22 e também ainda não é trinta. Mas trinta está acenando ali da esquina. Faz parte, desvio, experimentação. E a insatisfação é eterna, não? Por isso, seguimos. Buscando. Adorei, não conhecia muito a Liy Allen, boa surpresa.

carilevi disse...

e, bom.. se ver sex in the city, tem muita vida tem pela frente! namores, one-night stand, desamores, revivals, completely new, the same one but different, um que apareceu e atrapalhou, mas sumiu e melhor ficou. e por ai vai!!! muitas aguas vao rolar! e traz mais chuva carol!
vamo que vamo, a revolucao ta recem comecando! ;) mostra pro edu as palestras, ja que falamos sobre isso naquele almoco!!
BEJAO!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin